Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ri-te Rita

que a vida não rima

Ri-te Rita

que a vida não rima

Sem conseguir dormir

Ando sem conseguir dormir. Por um lado é porque está demasiado calor e por outro é porque está demasiado calor. Agora dá-me para rir, mas de noite tem-me dado para chorar. Ando a sentir que isto da humanidade tem os dias contados. E embora durante o dia me convença que são exageros da minha cabeça e que tudo será como sempre foi, a verdade é que de noite acho que não. Às vezes a vida simplesmente acaba. Às vezes as espécies simplesmente acabam. Nós já acabamos com muitas e às vezes penso se não seria melhor acabarmos nós para sobreviverem todas as outras. Depois olho as notícias e vejo a humanidade feito baratas tontas! Que ironia serem as baratas o bicho capaz de sobreviver a uma explosão nuclear! Mas baratas tontas é o que eu vejo por todo o lado. Arde o mundo e a culpa é do governo, dos proprietários, dos tribunais, da burocracia, das comunicações e das árvores. No fundo toda a gente acha que a culpa é das árvores! Porque ardem e incomodam quem está de férias e dá má imagem a quem está a apostar no turismo. Arde em Portugal, na Grécia, na Califórnia e na Suécia (esse antro desgovernado!). Depois há quem diga que temos de nos ajustar a um mundo em mudança com as alterações climáticas! AJUSTAR! Há 7 bilhões de pessoas neste mundo. 7 bilhões de pessoas que vivem do negócio de se produzir cada vez mais. Pela primeira vez ouço os cientistas, esses anormais que ainda não inventaram uma maneira de converter CO2 em O2 (é só tirarem o carbono, carago! não deve ser assim tão difícil para quem inventou as viagens à Lua e os ipod, ipad e ifire...), dizia eu, ouço pela primeira vez os cientistas afirmarem que afinal o mundo pode aquecer mais rápido do que se esperava (estava na cara palermas!) e que há um ponto de não retorno que pode já ter sido atingido (batatinhas...). E o que é que faz o mundo? Vira a cara, claro! Isto de ser ecologista é fixe, já se dão palestras verdes na escola há mais de 40 anos, mas alguém pensar realmente que o que está em risco são as nossas terras, a nossa vida e a vida dos nossos filhos, isso ninguém pensa com seriedade. As televisões continuam com os programas da tarde, as notícias com o futebol, as redes sociais com as críticas, os blogues com as fraldas e os eruditos com as parvoíces intelectuais para as quais já não há paciência. A sério ninguém fala. Ai e tal, tal e coisa, toma umas pastilhas para dormires, vê umas séries para embrutecer e olha para o lado. Reza pelos teus filhos e boa viagem.