Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ri-te Rita

que a vida não rima

Ri-te Rita

que a vida não rima

Self...ies

Quando surgiu a moda das selfies fiquei ligeiramente revoltada, não com a moda em si, mas por alguém ter achado que inventou coisa alguma só por ter sugerido um nome para algo que sempre existiu. Imagino que se começasse a chamar ao acto de olhar para nada enquanto penso "thinkthing" poderia registar a patente, e cada vez que alguém olhasse para o tecto em busca de calma e inspiração teria que me agradecer o facto de o ter inventado!

Ora eu, que sempre gostei de pôr a minha careta e a dos meus em tudo quanto era foto, sou agora acusada de seguidora da moda das selfies. Bem, a verdade é que sempre disse que se as fotos só mostrassem paisagens, mais valia comprar postais. Por isso em cada foto que tiro há sempre um wally para encontrar, e quando não tenho ninguém mais para enquadrar no cenário, lá fico eu selfizada.

Mas adiante, este fim-de-semana estive a ver fotos antigas com a família, e deliciei-me a encontrar as modas de cada época. Claro que cada moda, assim como em tudo, retrata não só os tempos mas também os equipamentos fotográficos, mas foi engraçado tentar encontrar padrões em cada geração. Dos bisavós ou os conheço em fotos de rosto de formato oval, ou em retratos de família, a mulher sentada, o homem de pé atrás e as crianças dos lados. Aos avós vejo-os de pé, ao lado dos filhos alinhados em escadinha e também mais jovens em fotos de corpo inteiro sem saberem muito bem o que fazer com mãos e braços. Os pais e sogros estão de lado a olharem um para o outro, em poses românticas ao lado de um carro ou num piquenique. Há também as eternas fotos de rosto das senhoritas a olharem de lado para o céu. Aliás, foi uma geração que se fotografou muito de perfil! Ao período temporal entre a moda fotográfica dos meus pais e a moda actual não encontrei padrões. Como é normal acontecer com tudo o que nos diz respeito, não conseguimos identificar o fio condutor por detrás das nossas acções e julgamos que somos a geração livre de manias. Mas talvez tenha sido a moda de fotografar tudo demasiado casualmente, ao ponto de não ter uma foto em condições e bem enquadrada para mandar fazer um quadro. Ah! e havia a moda dos namorados tirarem fotos a si próprios muito juntinhos, que normalmente resultava em duas caras risonhas cortadas dos lados e muito céu em cima. Prova que a moda das selfies já existia antes de ser moda!