Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ri-te Rita

que a vida não rima

Ri-te Rita

que a vida não rima

Rascunhos

Embora isto aqui seja um espaço anónimo e solitário, ainda não consegui me desprender das correntes do bom senso e da correcção que me impedem de disparatar os egoísmos e loucuras com os quais se forma a minha mente. E também não conclui ainda se da purga resulta benefício.

Lembra-me a diferença entre os rascunhos de um pintor e os de um escritor. Se os esboços que um pintor faz antes do quadro são por si obras de arte dignas de exposição, será que as versões iniciais de um texto são úteis para quem o lê. Ou antes pelo contrário, se se puder observar as várias tentativas que um poeta fez até acertar na forma final do poema, este perde a ilusão de talento!? E então voltando a mim, será que escrever os rascunhos da minha mente me são úteis, ou antes pelo contrário podem deturpar o produto final que são os meus actos!?