Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ri-te Rita

que a vida não rima

Ri-te Rita

que a vida não rima

Pombas

Há uns dias atrás (expressão que para mim é equivalente a "era uma vez" pelo recorrente uso que faço dela a começar cada texto), estava eu sentada à espera de autocarro a olhar para o prédio em frente que a certas horas do dia parece um autêntico pombal, quando vejo uma pomba em voo picado em direção à minha cabeça, qual águia qual falcão, bico em riste, cabeça esticada, asas para trás e olhar concentrado num qualquer bicharoco que andaria por aquelas bandas. Perplexa, comecei a baixar a cabeça, mas... "- PUM -"

O bico da pomba tinha batido com grande estrondo no acrílico transparente da parte de trás da paragem de autocarro.

Depois vi a pomba no chão ao pé de mim, cambaleou por 10 segundos e calmamente mas claramente humilhada voltou a se juntar às outras pombas que continuavam no edifício indiferentes ao que tinha acontecido.

Passei o resto do dia a tentar tirar um significado para a minha vida do que aconteceu, mas não achei nenhum...

Vida díficil esta das pombas!