Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ri-te Rita

que a vida não rima

Ri-te Rita

que a vida não rima

O paradoxo

Penso sempre três vezes antes de falar sobre actualidadezecas, mas este tema do Salvador só me tem dado vontade de rir, e bom, tenho andado necessitada de rir. Então não é que o homem (que já não é nenhum menino, valha-me Deus, 27 anos!) tem a mania de chorar que antes ninguém lhe ligava, como se o mundo tivesse a obrigação de se ter rendido a seus pés no momento em que ele abriu as goelas, e que agora todos o idolatram, menosprezando desta maneira os tolos como eu, que só agora lhe dão visualizações nas músicas do you tube. Vai daí, queixa-se que mesmo que mande um peido todos o aplaudem. Ora, tratando-se tais declarações, ditas no momento que foram ditas, de um peido por si só, qual não é o meu espanto quando vejo por aí gente a aplaudir. Paradoxal, não!

Perdoem-me os que perdoam, mas o que o menino precisa é de uma sapatada no rabo e um lembrete que educação nunca é demais, e não de uma esfregadela no cabelo e um "ai que giro que ele é!"

Posto isto, vou continuar a ouvir o moço, porque gosto das canções e isso é que interessa.