Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ri-te Rita

que a vida não rima

Ri-te Rita

que a vida não rima

As palavrinhas todas

"Tens de falar com as palavrinhas todas, se queres alguma coisa tens de o dizer com as palavrinhas todas." Isto é o que o meu marido me diz quando eu, em vez de falar, simulo palavras. E ele tem razão, só que eu gosto de falar por gestos e atitudes e tenho muitas vezes problemas com o presente do indicativo, eu quero, eu digo, eu sou. É muito mais fácil dizer eu fui, eu era, eu serei, eu seria ou então apenas sorrir.

Não há tal coisa como "as palavrinhas todas". Nunca são suficientes e faltam-lhe os gestos e as intenções. Com o tempo cheguei à conclusão óbvia que o sentido de uma frase está nos olhos de quem a vê, como se esta fosse um quadro mais ou menos abstrato em que cada pessoa projecta a sua personalidade. E interpretar as interpretações é um óptimo caminho para o conhecimento do outro. Por isso é que, voltando ao meu marido, quando ele me diz "tens de falar com as palavrinhas todas" eu olho para ele, encolho os ombros e rio-me.