Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ri-te Rita

que a vida não rima

Ri-te Rita

que a vida não rima

Meia-louca

O momento em que abandonamos a sanidade é quando deixamos de ter paranóias para justificar a preguiça e passamos a ter preguiça por sermos paranóicos.

Final feliz

Desde que me conheço tenho medo que os finais felizes não existam. Aliás, só os tolos acreditam em finais felizes! Pintam por aí o final feliz com tantas e tantas cores que parece que para o encontrar é preciso descobrir o pote que os duendes guardam no final do arco-íris. E todas as grandes histórias de amor são de um amor tão, mas tão grande, que quem as vive se vicia no amor, qual vampiro em sangue, e mal digere o pitéu logo fica sedento de sangue fresco. Tudo isto me causa pavor! Por outro lado dizem-me que os divórcios estão sempre a aumentar. Este ano, provavelmente divorciaram-se mais pessoas que no ano passado, e por sua vez mais que no ano anterior. E isso é natural, dizem. Se o facto estatístico não fôr verdade, então é por causa da crise económica. Porque também é natural duas pessoas ficarem juntas por dinheiro, só não é natural por amor (claro está, na maioria dos casos!).

Bom, também quando é o final? Quando morrermos? Se só depois de morrermos podemos afirmar o final feliz que tivemos, não admira que este mundo esteja cheio de fantasmas!!! BHUUU

3.14159265359...

Às vezes penso que se o número que explica a circunferência é interminável (ou irracional!!!), se o universo está modelado em formas elipticas e qualquer fórmula um pouco mais complexa é logarítmica, então talvez ao encararmos a vida derivando-a de números inteiros e explicando-a em gráficos em que as coordenadas são rectas, estejamos a perceber mal tudo o que nos rodeia.

Se a nossa unidade fosse o p e a matemática em vez de ser de base "1" fosse de base 3.14159265359... então talvez tudo fosse mais óbvio. As nossas coordenadas seriam curvas mas as leis que explicam o universo seriam mais simples. Como em muitas outras coisas, às tantas, tudo o pode ser preciso é mudar o referencial.

Desafio: Liebster Awards

Olá miana, obrigado por te lembrares de mim para este desafio mas eu infelizmente não gosto destas correntes. Sou na verdade uma fura-correntes :-). Já as quebrava quando eram por carta e postal, continuei a quebrá-las por email e agora será em blog. Percebo-lhes a utilidade e até posso lhes achar certa piada, mas não combinam comigo. Está à vontade para retirares o meu nome da lista e substituires por outro. De qualquer das formas e porque respeito o tempo e o cuidado que dedicaste a elaborar as tuas perguntas, junto as minhas respostas para matares a curiosidade:

 

Lema de Vida? Podia dizer que era ser feliz e fazer feliz a quem me rodeia, mas nem eu sei muito bem como isso se faz.

Banda ou artista de eleição? Depende da ocasião. Sou muito eclética que é uma palavra que aprendi a dizer para não parecer muito burra quando tenho que dizer que gosto de quase tudo que é bom. Neste momento estou a ouvir a Tracy Chapman no album "Our Bright Future" mas também gosto muito da Capicua como tu principalmente do "Medo do medo".

O que achas da adoção por casais do mesmo sexo? Não tenho problemas desde que não fiquem à frente de casais heterosexuais. Eu sei que é uma posição algo preconceituosa de quem não vê a vida familiar da mesma forma para os dois tipos de casais, mas acho que aqui o interesse da criança se sobrepõe, a sociedade portuguesa ainda não está tão liberta como isso e não vejo necessidade de serem as crianças a sofrer para abrir o caminho. No entanto, caso não existam alternativas acho que a estabilidade dada por qualquer tipo de casal é superior a de uma qualquer instituição.

Para além do português, que outra língua falas fluentemente? Entendo-me bem em inglês e espanhol mas daí a falar fluentemente vai ainda uma certa distância.

Uma cidade ou país que queres visitar? Tantos, hoje o meu filho falou na ilha da Páscoa e eu pensei que talvez...daqui a uns anos :-)

O que mais aprecias no sexo oposto? A confiança e o sentido de humor.

Uma coisa que muita gente faça e que aches estúpido/irritante? Desafios em blogs :-)

Coisas mais importantes da tua vida? A minha família e os meus amigos.

O teu sonho? Vai variando. Viver é muito importante. O resto é acréscimo.

Uma pessoa conhecida com quem gostasses de jantar? Ninguém em especial.

Qual a tua bebida favorita? Alcoólica será Caipiroska. Não alcoólica será limonada.

 

Beijinhos e tudo de bom para ti.

Selecção natural

Desde que me conheço que penso qual será o destino da espécie humana sem a seleção natural. Eu própria sou uma aberração da natureza porque se não fosse a medicina moderna já tinha morrido umas três vezes pelo menos.

Ultimamente, no entanto, tenho pensado nas vantagens da selecção artificial: a eliminação do asno. Ninguém quer ter filhos com uma besta (não apoia, não ajuda e só gera problemas) por isso há esperança que o DNA canalha desapareça.

Neurónios

O mundo é tal qual o cérebro humano. Constituído por alguns mil milhões de neurónios que funcionam como um todo não se sabendo muito bem como, cuja principal função é transmitirem entre si informação gerada não se sabe bem onde.

Crescer

Quando é que crescer passa a envelhecer? E se os nossos corpos crescem e envelhecem de forma semelhante, porque não as nossas cabeças? Se não há gente de 80 com corpos de 20, porque raio é que há gente de 20 com mentalidade de 80?

Deus

Embora em nome dos Deuses se matem os homens uns aos outros, se neles não se tivesse acreditado já há muito se tinham matado os homens a eles mesmos. Daqui se conclui que a sobrevivência do colectivo é um acto de egoísmo do indivíduo.

Pág. 2/2